quarta-feira, 5 de agosto de 2009

O Ninho (Parte II)


Assim que fiz o poema há alguns meses atrás (março/09)e o postei no blog, para meu desapontamento o casal de rolinhas partiu.
Abandonaram o ninho ainda sem ovos. Porém, na primeira semana de agosto ao tentar regar o mesmo vaso de samambaia, advinhem quem reencontro: uma das rolinhas em seu já conhecido 'nicho'. Não sei há quanto tempo lá estava. No domingo, não me aguentei de curiosidade, peguei uma cadeira e me certifiquei: Sim, havia dois ovos! E eis que hoje (quarta-feira - 05/08), eu e meu filho caçula estávamos sentados em nossas cadeiras amarelo-sol, e de repente ela resolve sair do ninho-vaso-de-samambaia com a metade da casca de um ovinho no bico. Estava fazendo a faxina! Ficamos apreensivos. Nasceram? Estão vivos? Aproveitando a ausência da mãe, subo novamente na cadeira e... que emoção! Havia um filhotinho, frágil, lindo! O outro ovo estava ainda intacto. Nesse momento chega a mãe, ameaçadora. Como mãe que sou, conheço bem o poder de uma mãe quando percebe algo desconhecido, talvez perigoso rondando suas crias. Respeitei-a e imediatamente, desci!
Ela não mais se afastou do ninho, nem eu tive coragem de me aproximar.
Me senti plena apenas observando a vida se renovar. Na minha garagem, dentro do vaso de samambaia. Se a felicidade existe? Claro, precisa uma prova maior que essa? Se Deus existe? Sim, Ele se manifestou dentro de mim naquele instante sob a forma de amor, doçura e singeleza. Eu não precisava de mais nada para ser feliz.

10 comentários:

Claudiana e Silvana disse...

Que lindo!!!!!!!!
Profa. vc não fotografou???
Eu senti a mesma emoção essa semana com o nascimento dos filhotes da minha cachorrinha Maria Fernanda.
Fiz até um blog para ela rsrsrsr
Beijos Claudiana

RUTH CAMARGO disse...

Interessante estas observações. Deus se manisfesta de várias maneiras e com certeza esta é uma delas.Ah, como é bom sentir a presença de Deus em coisas simples, porém tão belas.Beijos!
Ruth Camargo

durival josé disse...

Quem nasce não ocupa espaço, ganha uma vida. E o nosso cotidiano é assim, cheio de vida, a exemplo do filhote de rolinha e, com certeza, da samambaia que se reproduz. Realmente é bonito contemplar a vida que se inicia.
Durival

Cris Faria disse...

Só pode observar, sentir e escrever sobre a magnificidade da vida quem de fato está preparado para vivê-la intensamente!!!!
Adoreiii!!
Parabénsss, Fá!
Beijoo Grande!!

Maria de Fátima Garcia disse...

Oi queridos!
O ninho faz rizoma com a vida que gera e gesta. Esta por sua vez produz conexões rizomáticas com a vida que nasce e com a samambaia que oferece as condições ideais para o filhote que chega ao mundo. A garagem, a sombra e a família que contempla embevecida fazem parte dessa teia da vida.
Beijos e obrigada pelos comentários...

Profª Joaninha disse...

Parece que estou vendo as folhas balançarem, a rolinha te olhando, que emoção boa. Obrigada por me fazer sentir.

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS NA ESCOLA disse...

Fátima
Que lindo, fiquei tão emocionada com esse relato vivo.
Você fotografou esse momento tão bonito?
Tereza

dirramandopalavras disse...

Meu Deus!

Que auspicioso acontecimento!

O ovo se rompe anunciando o nascimento da nova fase da vida com singeleza, doçura e muita alegria.

O texto ficou lindo. A medida que lia as cenas se apresentavam....
Beijos,
Cidinha.

Claudiana disse...

A foto ficou linda!!!!beijos Claudian

Andréia disse...

Que delícia!
É a vida, é bonita e é bonita.
Bj
Andréia